Tenho 44 anos. Em 15 de Dezembro de 1996 dei o meu último caldo. Passaram-se 17 anos... Aqui contei parte da minha história...

sexta-feira, Março 21, 2014

Estou vivo.

Estou vivo.

Continuo limpo, deixei de fumar e corro dia sim, dia não.

Estou aqui, feliz por ver que ajudei quem quis ser ajudado, mesmo aqueles que se serviram do blog apenas para exercícios de masturbação mental, até esses eu ajudei.

Como previ foi sempre a somar…

quinta-feira, Março 01, 2007

O fim.

Acho que chegou a hora de terminar este blog, não tenho mais paciência para aturar as merdas que todos os dias alguns energúmenos deixam na minha caixa de correio. Não o quero no entanto fazer sem resumidamente vos dizer quem sou, o que faço e como terminou a minha história com as drogas.
Completo dia 13 de Março 37 anos, chamo-me Luís e trabalho na área de Marketing de uma grande empresa de transportes.
A droga, em particular a heroína, fez parte da minha vida até ao dia 15 de Dezembro de 1996, nesse dia dei o meu último xuto, e daí para cá não mais toquei em drogas. Vivi um período complicado de curas e recaídas constantes, mesmo quando era suposto tomar o inibidor de opiáceos, fazes houve em que simulava apenas que o ingeria, indo logo de seguida dar um caldo. Em 14 de Março de 1997 nasceu a minha filha mais velha, a Mariana, e nesse dia prometi a mim mesmo que por mais forte que fosse a tentação não voltaria a cair, por ela, pela minha filha, o anjo que veio para me salvar.
Em 2001 concluí a minha licenciatura em Marketing e Publicidade no IADE.
Em 22 de Fevereiro deste ano divorciei-me da mulher com quem vivi durante 10 anos, e de quem tive mais uma filha que também amo e adoro, a Beatriz, um dia espero contar o meu passado às duas, para que saibam por onde passei a vida que levei, e para que compreendam muito do que sou.
Finalmente acho que a minha vida está a tomar um rumo, tenho a certeza que daqui para a frente seja sempre a somar.
Até um dia…

quinta-feira, Fevereiro 08, 2007

Estou a ficar farto

"Jesus! Tou deveres siderado de espanto! + didático e educativo definitiva/te era impossível. MAS O KÉ ISTO? Será ke é “... dar a conhecer o que é realmente a vida de um drogadado e em simultâneo dar pistas para que pais e familiares consigam atempadamente perceber os sinais de alerta...” Não atingi ainda o alcance deste post mas lá chegarei. O cavalheiro sempre foi assim ou está a atravessar alguma fase + complicada e de completo desnorte. Pelo ke me apercebi a mulher fartou-se de si... Deve ser 1 qq. sindrome de tensão pós-separação. Concerteza Freud ou mm. Daniel Sampaio explicariam...Tiro contudo 2 ideias visionárias desta vergonhosa reali//, cursos de formação profissionalizantes.1-Curso de iniciação e aprefeiçoa/to – Injete-se – ministrado por profissionais de saúde ou 1 qq. drogado + experiente2-E ainda toxicologia das drogas e substâncias similares – Aprenda a distinguir. Qq. quimico ou frequentador assíduo do cartel de Medellín poderiam lecionarEvitar-se-iam as situações de “angústia” , aterradoras ke aqui descreve. Ser deplorável. Houve alguém ke aqui frisou, ke tanto é cego aquele que é, como aquele ke não quer ver... Nunca lhe atribui tanto significado como agora.Outra coisa ke me apraz saber é ke os traficantes são conscenciosos. Quem diria! Não me canso de ver nestas páginas que eles são os principais responsáveis p/ esta miséria humana. Tiveste sorte de eles serem tão burros c/o tu e não saberem da existência do antraz. Já viste se em vez de cimento, cal, sonoríferos, noostan, misturassem antraz, já eras... e evitavas esta tua triste existência. "

Sinceramente começo a ficar farto desta aberração que por aqui teima em aparecer, este pseudo-intelectual que se julga muito importante e inteligente está quase a fazer-me perder a paciência. Meu senhor, já vi que tem uma vida muito interessante e ocupada, tanto que não sai daqui e nos obriga a aturar o seu cheiro pestilento e nauseabundo. Se está mal e não gosta do que aqui escrevo porque faz questão em por cá aparecer?
Desampare-me mas é a loja e ponha-se ao fresco.
Diz-me lá o que é que tu percebes da vida de um drogado? Dos sentimentos e das angustias porque passei?
E quanto à mulher não foi ela que se fartou, fomos nós que nos fartamos os dois.
Agora volta lá para o chiqueiro de onde saíste que já estou farto de aturar.

quinta-feira, Fevereiro 01, 2007

De volta

Voltando então ao relato da minha história, que de facto é o que interessa e o motivo da existência deste blog, estamos então na época em que comecei a dar os primeiros caldos sozinho.
De cada vez que o fazia era sempre confrontado com uma série de medos. Desde logo o pior de todos era o medo de que a seringa entupisse ou que por qualquer razão falhasse a veia e desperdiçasse o cavalo. Isto era o pior que me podia acontecer, estar a ressacar, conseguir arranjar cavalo e depois a bomba entupir era desesperante, tive cenas de estar com a agulha espetada, ter encontrado a veia e de repente ficar tudo entupido. Por mais que tentasse empurrar o êmbolo nada, nem para a frente nem para trás, só me apetecia bater em mim próprio. Outras vezes era a agulha que saltava da veia à última da hora, e o líquido em vez de entrar na veia fazia logo um alto no braço porque ficava ali acumulado, vindo mais tarde a dar origem a grandes hematomas, enfim autenticas cenas de terror.
Outro medo com que me confrontava era a qualidade do cavalo, ou melhor dizendo que tipo de mistura tinha. Toda a gente sabe que os traficantes misturam substancias no cavalo para aumentar a quantidade e logo aumentar o lucro, o chamado corte. Mas há medida que vamos descendo na cadeia todos os intermediários fazem o mesmo, sendo que os últimos, muitas vezes pequenos traficantes que apenas ganham para o seu próprio consumo, utilizam tudo o que tenham à mão, seja cimento, seja Noostan seja cal, enfim o que puderem. Ora, o meu medo era que algum desses malucos me vende-se uma mistura com alguma substância letal o que pelo facto de eu ir injectar podia ser muito perigoso.
Esse foi um dos motivos que me levou gradualmente a abandonar a compra no meu bairro e a procurar bairros de maior importância no tráfico, em particular o Casal, pois pensava que aí o risco era menor, mas em boa verdade, foi intrujado tanto no meu bairro como nos outros, dependia dos dias, das épocas, enfim dependia da consciência ou falta desta dos traficantes.

quinta-feira, Janeiro 25, 2007

Bem, eu não queria mas vou ter de o fazer.

Estou a gostar muito da vossa troca de argumentos, mas tenho o dever de esclarecer uma coisa aos que ainda não sabem.

A pessoa que assina como Bela é ainda a minha mulher, estamos neste momento com o processo de divórcio em curso, vivemos juntos durante 10 anos e temos duas filhas em comum, que são neste momento a única coisa que nos une.

Não respondi a nenhum dos seus comentários, nem o vou fazer, mas agradecia que os mesmos também não se dirigissem a mim directamente, porque os comentários que eu destaco aqui são os únicos que me merecem resposta, os outros…

segunda-feira, Janeiro 15, 2007

Fiquei sem palavras

"Anonymous said...
Não poderia deixar de comentar os tristes ignorantes que acreditam na utopia de que acabariam os processos no tribunal bem como os crimes e mendicância se exterminássemos os toxicodependentes. Ora trabalho num tribunal há 10 anos e os piores crimes não são ligados a toxicodependentes mas as inúmeras perturbações alimentadas pela sociedade e pelas famílias. Como por exemplo a violência doméstica, a pedofilia, actos de vandalismo, tráfico de mulheres e crianças bem como de armas e drogas e, isto sempre aliado a pessoas sem carácter e muitas vezes com perturbações neurológicas. Ora os toxicodependentes, a prostituição, as vítimas de violência doméstica, as mulheres e crianças que são traficadas e sacrificadas pertencem a mais um grupo sacrificado pela sociedade por falta de justiça, informação e civismo. E aqui a culpa não é só dos governos mas também do povo que não se une para defender ideais ou injustiças, já lá vai o tempo disso agora vivemos oprimidos de outras formas mas achamos que tudo vai bem não fossem os drogados! Sinceramente, pensar assim é como pensar como um Hitler que matou milhões de seres humanos e, claro como comprova a história era doido varrido. Infelizmente os doidos varridos e pessoas com perturbações graves continuam livres e impunes e, a viver entre todos nós como pessoas normais. Agora dada a valente vaga de hipocrisia e violência não acho justo pagarmos impostos para sustentar pedófilos e traficantes que assim que saiam das prisões vão fazer o mesmo. É literalmente trabalhar para o boneco. Quanto à droga é mais outra hipocrisia como o tabaco. Penso que alguém equilibrado sabe perfeitamente que o governo não aumenta o tabaco porque se preocupa com a saúde dos cidadãos!! Se se preocupassem os tratamentos seriam acessíveis e comparticipados já que o governo ganha e não é pouco com a venda do tabaco. Assim como ganha com a venda de medicamentos, álcool, etc. Porque não acabar com esta hipocrisia de alimentar pançudos e legalizarem as drogas? Tristemente seria um descalabro pois ironicamente a economia mundial depende em grande parte da venda de estupefacientes. Mas o que há mais são hipócritas nesta sociedade por isso não é de admirar que não consigamos progredir pois esses que enriquecem à conta da miséria no mundo é que são parasitas e, que parasitas!! Portanto não ligue a comentários deste género meu amigo, use-os antes para encorajá-lo a seguir o caminho que segue há 10 anos, afinal não existe pior loucura que a de um louco que não a admite, entende? Ninguém é perfeito nem existem super homens, existe sim muita hipocrisia, falsas morais e crenças que são convenientemente alimentadas por um sistema que aos olhos da história da humanidade sempre existiu e que chamamos de parasitas. Penso que entende ao que me refiro. Ao longo da história sempre existiu este estado de debilidade moral e humana quer pelo clero quer pela nobreza, hoje muda-se os nomes e o panorama mas a merda e ,desculpem-me a expressão, é sempre a mesma. Antigamente os reis viviam do povo que trabalhava chegando mesmo em tempo de guerra a roubá-los. A nobreza era rica mas perturbada e ignorante daí o atraso da Europa e principalmente de Portugal em relação ao resto do mundo. Se reparar nada mudou ao longo da história apenas o fundo de pano e as vestes.Por questões que penso serem compreensíveis não divulgo o meu nome.Desejo-lhe o melhor e não perca tempo com questões tão pouco salutares para a sua mente e, ainda por cima nada construtivas, pois se conseguiu chegar onde chegou é porque não é tão oco e tão desvirtuoso.
"

sexta-feira, Janeiro 12, 2007

Um pouco de Humor

Sabendo eu que corro o risco de estar a transformar, por momentos, este blog numa comédia bacoca, onde a gargalhada fácil é alcançada pelo mais baixo insulto e falta de inteligência, não resisto ainda assim em vos deixar mais estas duas pérolas.

Enfim, eu tentava mudar-te o balde, mas ias continuar com o mesmo cheiro por dentro.

"Agora cita Pessoa, na sua virtuosidade literária. Continue, sempre se aproveita alguma boa leitura neste vazio de intelectualidade. Pessoa deixou obra p’ra a posteridade ao contrário do Sr. ke convenhamos... quanto mto atingirá o patamar de Carolina Salgado... A ver vamos... A sua obra mais parece uma “Como se drogar em 10 passos”... Onde, o quê, como e a quem e como trapaçar roubar. O antes, o durante e o depois e como voltar uns anos depois com imagem de bom mas falso samaritano, na hipotética tentativa de ajudar o px. Mais parece plagiar “Transpotting” . Nesta sua acutilante historieta só lhe falta o esquema para enganar a segurança social, ou será que ainda nos vamos surpreender... Enquanto isso ... cá estarei para lhe lembrar da sua deselegante estupidez."

"Ena, Ena, o Sr. ebolição.... perdão evolução saiu da letargia onde andava. Tremeu tremeu... mas não caiu. + 1 “atiço” e era o descalabro. Lá se ia toda a pose e a compustura da besta e da podridão ke se esconde por trás da falsa cortina de altruismo. Basta p’ra isso contrariá-lo p’ra lhe cair a máscara e mostrar a faceta esquisofrénica. Tome tino. Ke moral é ke tem p’ra dizer kas pessoas nascem ou não ensinadas, se são ou estão ou não atentas. V/ exas. é k acham kos v/ hospedeiros nascem para vos aturar. Pois mas como idiota que é e será a sua moralidade deve ser proporcional ao seu infimo QI. "